Anestesia.


Como numa canção de fundo em um filme de terror. - Silêncio!
Um dia você acorda e se depara com sua imagem em frente ao espelho que não encara há algum tempo e percebe que aquela pessoa nunca saiu dali.
Um dia você achou que tinha morrido, que estava num universo diferente onde as pessoas já não se importavam. Um dia você descobriu como é não sentir nada. Um certo dia, uma lágrima escorreu de seus olhos e essa mesma lágrima secou em meio a sua face. Você permaneceu por muito tempo neste dia. Foi o dia mais longo da sua vida.
Mas a noite sempre chega. E com ela você foi dormir. Abraçada pela suavidade e aconchego que é o silêncio. Você desejou não mais acordar, pois estava se sentido segura. Que tipo de pessoas são essas que não lhe deixam descansar, ter um momento de paz.
Mas o dia também chega. O sol nasce. E você teve que abrir os olhos. Teve que se tocar e sentir que teu corpo ainda está quente. É quando você se levanta, ainda meio atordoada, mas decide se levantar. E volta a se deparar com sua imagem em frente ao espelho. E percebe que aquela pessoa não morreu e essa mesma pessoa ainda pode sorrir. Um certo sorriso tímido. E você decide seguir em frente pois não tem mais nada a perder.
Sofrer não tira suas dores e nem a torna uma pessoa melhor. Nem tudo na vida é passageiro, mas os sentimentos anestesiam, a dor diminui com o tempo até só restar a lembrança.

0 )*Comentários.: